05 janeiro 2009

Dias há...




Dias há

Em que esvoaçam
Em mim
Borboletas tecidas de luz

Dias há
Em que laços de seda
Se me desatam
Suavemente
Na alma

Dias há
Em que todas as estrelas
Em que todas as brisas
Em que todas as gotas de chuva
São minhas

Noutros
Corvos soturnos
Me cegam de negro.

Dina Cruz

2 comentários:

  1. E de facto há dias... mas também, infelizmente, há negro em asas desfraldadas.

    ResponderEliminar